Resenha - Joyland por Stephen King

By | domingo, setembro 06, 2015 Deixe o seu comentário


Título Original: Joyland

Editora: Suma de Letras

Número de Páginas: 240

Ano de Lançamento: 2015

Onde comprar: Cultura | Saraiva | Amazon





     E aí, pessoal. Tudo bem com vocês? Hoje eu vim aqui falar um pouquinho sobre Joyland, um dos
últimos lançamento do Stephen King aqui no Brasil.

     Joyland vai contar as memórias da juventude de Devin Jones. O livro se passa em 1973 e narra a jornada do rapaz durante suas férias da faculdade, onde arruma um emprego temporário no parque Joyland. Quando começa a descobrir os acontecimentos que ocorreram no seu local de trabalho antigamente, uma chama de mistério se acende em Devin e ao começar a investigar o que realmente aconteceu em Joyland, ele nunca mais será o mesmo...

     Eu não sou expert em Stephen King, mas já li o suficiente para saber que Joyland se destoa um pouco dos trabalhos do autor. Não que isso seja ruim, só achei estranho não encontrar aquela narração que envolve uma grande contextualização, etc. O livro foca nas peripécias do Devin e o que ele aprendeu com isso. Apesar do foco nas férias de Jones e no outono de 1973, existe o mistério que circunda o parque onde o rapaz trabalha e isso é que conduz Joyland.

     Em relação ao mistério, de início, fiquei intrigado. King sabe muito bem como enganar leitor com fatos que levam à uma pessoa sendo que a culpada é outra. Porém, o mestre só conseguiu me enganar por um tempo. Logo depois de minhas suspeitas caírem por terra, Stephen deu uma pista crucial sobre a grande revelação do final, o que acabou não o deixando tão surpreendente quanto deveria. Fora isso, todo o clima de suspense valeu a pena.

     Sobre os personagens, não tenho nem muito o que falar. King como sempre criando personagens tão reais que exalam vida pelas páginas. Eu adorei a personalidade do Devin, a sua aura heroica é incrível! Sempre querendo ajudar ou, pelo menos, tentar fazer algo por alguém. Ai! Ele é demais!
E mais uma vez, sintam-se avisados, Stephen King não perdoa ninguém, nenhum de seus personagens escapa ileso de suas mãos. (Lembrem disso)

     Minha única decepção com o livro foi o cenário que King decidiu usar. Eu esperava um trabalho maior na ambientação que ele deu à história. Gente, não existe local melhor para uma história de terror do que um parque de diversão, não é mesmo?

     Enfim, Joyland cumpre seu papel de entreter. Não é a melhor história de King, mas também não é a pior. Recomendado para quem busca algo leve e não tão extenso quanto as outras obras do autor. Como vocês já sabem, Stephen King é qualidade na certa!


Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: