Análise - Maze Runner

By | quarta-feira, fevereiro 25, 2015 2 comments

     Oi gente, como vão vocês? Hoje vim para o meu post sagrado de quarta! O assunto de hoje é Maze Runner, do autor James Dashner.

     Ok, se você ainda não conhece a série de livros, deve ter visto o filme ou ao menos ouvido falar sobre. Mas bem, se ainda não conhece, vou fazer um resumo.

     Um garoto acorda em um elevador. Até aí tudo bem, porém, este não se lembra de nada a não ser seu nome. Só que as coisas ficam bem estranhas quando ele chega à um local onde reside vários meninos, o local é denominado Clareira. O mais bizarro é que, existe um labirinto que se abre todos os dias e, se não me engano, três garotos entram para tentar achar a saída daquilo. Praticamente, é isso.

     Ahn, até agora estou me perguntando o que me trouxe a escrever este post. Deu vontade, e ah, vamos lá.


(Livros em suas capas originais.)

     De primeira, a saga tem uma premissa interessantíssima, daquelas que fisgam o leitor logo de primeira, mas foi mal desenvolvida. Pelo menos, foi o que eu achei. James tinha um grande trunfo nas mãos e meio que acabou desperdiçando. Um dos fatores que levou ao desperdício da trama foi a questão de o autor soltar MUITAS perguntas e aí acabou perdendo-se em sua própria criação.

     Eu li os três que compõem a trilogia principal e durante os três, a enrolação foi GRANDE! E o pior de tudo é que todos os tomos giram em torno de algo que acaba não sendo explicado!!! GENTE, VOCÊ LÊ TRÊS LIVROS E NO FINAL ACABA NÃO TENDO RESPOSTA ALGUMA? Ah, me poupe! É tipo, correr, correr e não ir para lugar algum. Só damos voltas e mais voltas. Sério, apesar de a história possuir um clima envolvente, é inaceitável o fato de o autor acabar passando a perna no leitor!

     Apesar dos problemas, no fundo, gostei. É, por incrível que pareça, eu curti! Tipo, é um passatempo bom, mas nada tipo: “OMG!!!”. Considero a série regular, tem muitos pontos negativos, mas tem lá seus pontos altos, como o mundo criado. Uma terra totalmente devastada e jogada praticamente as moscas. Mas de praxe, Dashner acabou deixando de lado também o seu universo pós-apocalíptico.
  
     Sobre a adaptação cinematográfica do primeiro livro, eu só tenho a dar os meus parabéns! Porque os produtores conseguiram tirar a má impressão eu tinha sobre a obra. Foi um filme de tirar o fôlego! Várias vezes precisei me segurar na cadeira. É insano e fantástico! Se Dashner tivesse tirado as diversas partes nonsense e as partes bem ZZZZZZZZZZ que são pura inchação de linguiça, teria feito com que a obra fosse mais empolgante.

     Enfim, Maze Runner é bem regular, mas se você gosta de coisas que seguem à linha de Lost e aquela coisa sobre sobrevivência, os livros são recomendados. Porém, não vá com tanta animação, no final, não haverá resposta. 
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

2 comentários:

  1. Rodrigo, você acha interessante comprar os outros dois livros que complementam a história? Estou louca para ler, porém não sei se vale a pena comprar o box e pagar mais caro por algo que não é necessário...

    ResponderExcluir
  2. Oi Gabriella, tudo bem?
    Seguinte, eu recomendo você comprar os livros separados, vai que você não gosta... Creio que vale a pena dar uma chance para a série. Sempre acho bom ler e tirar minhas conclusões sobre, penso que você deveria fazer o mesmo. ;)

    Abração!

    ResponderExcluir