Resenha - Trono de Vidro por Sarah J. Maas

By | sexta-feira, dezembro 12, 2014 Deixe o seu comentário



     "Esse volume foi só a entrada principal, ainda há muita coisa para se degustar dessa história."

Título Original: Throne of Glass
Editora: Galera Record
Número de Páginas: 392
Ano de Lançamento: 2013



    



     Trono de Vidro é o primeiro livro de uma série YA, escrito por Sarah J. Maas.
   
     Celaena é uma escrava nas minas de sal de Endovier. O motivo: a garota é a maior assassina de Erilea. Endovier é como se fosse uma prisão de segurança máxima, onde os diversos condenados são obrigados a trabalhar até a morte. Certo dia, uma visita inesperada acontece, o príncipe Dorian, mas o mais incrível ainda está por vim, a jovem recebe uma proposta: Ir para a competição no castelo do rei e lá disputar com os melhores criminosos do reino e das rendondezas e se ela vencer todos os oponentes, se tornará a Assassina do Rei (durante quatro anos) e depois do período, ela ficará livre.
   
     Bastante interessante, não? Realmente é interessante e melhor ainda, é empolgante. Sabe aquele livro que você pega já querendo saber tudo o que vai acontecer? Então, esse é Trono de Vidro. Além dessas qualidades, ainda possuí um ingrediente especial: a mitologia introduzida no mundo medieval da história. Ai gente, isso é fantástico! Desde a Trilogia do Reino eu ansiava por algo medieval, mas o melhor de tudo, quando acho outra coisa do tipo ainda vem incrementado de fantasia. Paixão na certa.
   
     Claro que para uma história ser boa, tem que ter uma protagonista no mínimo aceitável e lógico que a personagem principal, a Celaena não deixaria a desejar. Valente, corajosa, sagaz, sarcástica e, claro, sensual, a assassina é o sonho de qualquer um. Com todas essas qualidades, se tornou uma das minha paixões literárias, ou seja, vocês ainda vão ouvir eu falar muito da Celaena. Apesar de tudo isso, existe um grande problema com a garota. A enorme falta de sinônimos para ela. Ou usam o seu nome ou a expressão "assassina" (quando usam, dão uma ênfase enorme de ela ser a mais perigosa) e eu fico bastante incomodado com isso. Bem, sempre ocorre de ter esses problemas e como a história é boa, decidi relevar um pouco.
   
     A trama é bem construída, como falei anteriormente, o fato de ter uma mitologia e possuir tons de fantasias fazem com que a história seja mais incrível e impactante, mas nem tudo é flores, sempre existe aquele espinho que incomoda muito. Como era um livro sobre uma assassina, eu esperava uma coisa mais violenta e esperava ver ela colocando sua prática sanguinária em ação, mas durante o decorrer, vemos só ela treinando suas habilidades mas não a vemos em combate. Isso me entristeceu um pouco. Sei lá, só achei que teria mais embate, porém não teve. Outro fator que achei um pouco estranho foi porque ao mesmo tempo que o livro tem uma aura de violência, tem um romance muito bobinho. Achei que isso não pegou muito bem com o contexto da história.
   
     Mas nem todos esses deslizes tiram o brilho de Trono de Vidro. Intrigante, genial e impressionante, os amantes de livros medievais com uma pegada "jovem" irão amar. Maas presenteia os leitores com um banquete digno do rei de Adarlan. Esse volume foi só a entrada principal, ainda há muita coisa para se degustar dessa história.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: