Resenha - Ladrões de Sonhos por Maggie Stiefvater

By | segunda-feira, dezembro 01, 2014 Deixe o seu comentário



     "Desesperado, tenso, emotivo. É dessa forma que “Ladrões de Sonhos” te deixa."


Título original: The Dream Thieves
Editora: Verus
Número de Páginas: 434
Ano de Lançamento: 2014



    


     Dando continuidade ao final desesperador de “Os Garotos Corvos”, Maggie nos surpreende mais uma vez com o segundo volume da saga que está tomando o coração das pessoas, “A Saga dos Corvos”.

     Para começar tenho que dizer que quem já leu “Os Garotos Corvos”, mas não se lembra muito bem, releia. A Maggie não nos dá muitos detalhes do que aconteceu, só menciona o fato, sem dar muitas explicações.

     As coisas estão ficando mais sombrias na história. O clima de mistério e tensão é bastante explorado nessa parte da história. O mistério é maior do que nunca, te dando várias interrogações, algumas delas dadas no primeiro volume, e outras novas e surpreendentes que não te deixam descansar até descobrir o que é de verdade.

     Gansey e sua turma estão indo para a floresta de Cabeswater, estando certo tempo sem visita-la depois do acontecido no volume anterior. Ao chegarem lá descobrem que simplesmente tudo sumiu, a floresta não está mais lá. Então, começam a busca de uma solução para o que aconteceu e também entender o que realmente ocorreu por lá.

     Para melhorar a situação, está chegando a Henrieta o Homem Cinzento, um assassino de aluguel, contratado para achar o Greywaren, mas sem saber o que é, apenas com a informação que é algo usado para retirar coisas dos sonhos.

     Maggie continua com sua forma de caracterizar os personagens que diz mais a respeito dos sentimentos, seus jeitos e como são, sem nos passar muitas informações sobre as características físicas.

     Blue está começando a me irritar de uma forma descomunal. Ela está ficando estressada, irritada, na defensiva e sem paciência para qualquer coisa que façam ou que digam. Outro que está seguindo para o mesmo lado é o Adam, estou começando a odiá-lo também.

     Um romance começa a aparecer no ar, mesmo que só o vestígio dele. Blue não consegue negar seus sentimentos, mas sabe que tem a grande profecia contra ela.

     Ronan... O que falar de Ronan? Essa pessoa que você poderia odiar no primeiro volume. Mas nesse ele te surpreende até demais. Você descobre os seus segredos e os motivos de ele ser do jeito que é e de agir do jeito que age. Sua participação no livro é muito mais abrangente, ele passa a ser foco do livro, seus sentimentos, os reais, são mostrados com muito mais frequência. Se é que era mostrado no primeiro.

     O que Ronan consegue fazer que nos é apresentado no final de “Os Garotos Corvos”  é explorado e explicado neste livro, mas não totalmente explicado, uma dúvida que fica é o porque ele consegue e o porque de ser ele a conseguir fazer isso?

     Esse lado de Ronan é mostrado graças ao que Maggie fez nesse volume, que foi continuar introduzindo o relacionando dos personagens, não só entre si, mas com suas famílias. O que esse relacionamento acabou deixando, de forma emocional, para eles? É uma questão que é explicada nesse capítulo da história. Desvendando assim, alguns mistérios que ficavam no ar.

     Por falar em mistério, existe o que já haviam sido falados antes. Dentre eles, a profecia que envolve Blue, o rei Galês e a linha ley e o qual o mistério de Ronan e porque ele consegue fazer o que faz. Esses continuam sua trajetória e também são abertas novas interrogações, que o mais importante dentre elas e que você fica com aquilo na cabeça quase toda a história é: Qual o pacto feito pelo Adam quando se sacrificou no livro anterior?

     Senti que o livro realmente foi um livro de desenvolvimento, no qual não acontecem muitas coisas, só o desenvolvimento dos personagens e a criação de um cenário para mistérios posteriores. Senti um pouco de falta da ação nas cenas finais marcantes que teve no volume um. O final foi mais parado que o outro. Mas isso não é motivo para ser ruim, pelo contrario foi bom.

     Uma coisa muito característica nos livros da Maggie é que se você quer parar de ler um capítulo, você deve parar no meio dele, nunca no final. Sugiro que não leiam a última frase dos capítulos, você fica com expressão de espanto ou entusiasmo e vai ler o próximo capítulo. Tudo por causa das frases que são sempre marcantes no final dos capítulos.

     Assim como no livro anterior, a última frase do livro é para destruir as pessoas e as fazer querer o próximo no mesmo momento. Te deixa agoniado assim que acaba, com uma frase que faz com que você fique de boca aberta. Desesperado, tenso, emotivo. É dessa forma que “Ladrões de Sonhos” te deixa. A saga que já conquistou meu coração me faz querer cada vez mais. Que venha o terceiro volume com mais mistérios e respostas, para acabar de vez com todos que estão acompanhando a eletrizante aventura de “A Saga dos Corvos”.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: